terça-feira, dezembro 29, 2009

Pensando alto (27 de Fevereiro de 2009)

se eu pudesse dizer algo sobre os dois primeiros meses do ano, se eu pudesse fazer um balancete, eu diria que janeiro foi surpreendente de uma forma meio que negativa. Senti-me fora de mim e acorrentada, tenta visualizar. Fevereiro significou voltar ao habitual, revigorante. O final, então, refrescante mesmo. Mas todo esse lero lero é porque me ocorreu esses dias o fato de que o tempo é mesmo escorregadio. É como se eu ouvisse aquela famosa frase "isso não te pertence mais". No mundo em que vivemos, somos obrigados a ganhar dinheiro, o que é mesmo bom, mas isso também nos obriga a trabalhar. Às vezes me dá uma vontade súbita de pegar uma mochila e viajar o mundo todo. Mas isso exige: dinheiro! Parece que estou me cercando de impossibilidades nesse post, né? Tempo, dinheiro... Bom, a lista não terminaria. De qualquer maneira, meu pensamento original é que eu penso que deveria fazer todos os dias valerem à pena, valer à pena sair da cama, deixar o lar, lutar por alguma coisa, por alguma coisa que vá durar. Durabilidade. Tempo. Dinheiro. Conceitos e mais conceitos. Voltando à durabilidade, acho que a amizade pode durar. Perdi uma mt importante dia desses, por um motivo ridículo, mas profundo. Ca-ra-ca, sobre o que é esse post mesmo? Acho que estou pensando alto demais...

P.S.: é um post antigo, tava guardado nos rascunhos, mas penso que valeria à pena deixa-lo ser lido.

2 comentários:

Tati Rodrigues disse...

'penso que deveria fazer todos os dias valerem à pena, valer à pena sair da cama, deixar o lar, lutar por alguma coisa, por alguma coisa que vá durar'...

alguma coisa que vá durar... o permanente anda tão dificil, tudo anda tão passageiro e temporário...

belo texto guria. bjs e até.

Juliana disse...

Catarina!!! Eu já conhecia seu blog,mas ele tá bem diferente doque estava da última vez em que visitei.
Agora que tô virando blogueira, estarei sempre de olho no seu Romanos.
Bjsss