sexta-feira, outubro 02, 2009

eu me debato com um post que quer sair, mas ao qual tento não me render. essa postagem, então, que você lê, é aquele texto, reprimido, não aceito, se disfarçando em mero comentário. o assunto? perder. ouvi dia desses que nunca se perde nada de uma hora para outra, se perde pouco a pouco, numa progressão não prevista. acho que perdi uma amizade. não acho, sei, mas prefiro deixar assim. se devo falar assim, não estou certa. sei que ficaram lembranças, ficaram dúvidas sobre onde errei, fui neurótica demais?
a trilha sonora é do The Fray quando ele canta: "where did i go wrong, I lost a friend, somewhere along in the bitterness and I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life." (onde foi que errei, perdi um amigo, em algum lugar na amargura. Teria eu passado a noite em claro se soubesse como salvar uma vida?)
acho que passei. talvez tenha errado por excesso, por depositar demais do meu coração num cuidado que não devia ser meu. por mais consistentes e bem intencionados que sejam os seus conselhos, chego a pensar que nada consegue vencer a "vontade".que poder ela tem. cuidado com o que você anda desejando, é nisso que vc se torna.
seja como for, passou. nunca pensei ser esse o fim, nunca pensei que as coisas se encaminhariam para essa direção, mas foi assim que aconteceu. temo dizer que isso tenha me acrescentado um pouco de "pessimismo" com algumas coisas. sabe, se esforçar, se dedicar, tentar dar uma mão. acho que fica de aprendizado que SONHAR é algo íntimo e próprio do indivíduo, não posso exigir que alguém possua o mesmo "padrão de qualidade" na hora das escolhas pessoais. o perigo disso tudo? sentir-se injustiçado. sentir-se feito de palhaço. já passei por lá. acho que de lá estou saindo e nem sei bem, nesse emaranhado de sentimentos, onde estou.
a vida continua. vc conhece outras pessoas. outras pessoas demonstram amor por vc. vc cresce com os tropeços da vida e promete a si mesmo não colocar sobre si mesma tal fardo da próxima vez, pelo menos vc promete.

12 comentários:

Cíntia Mara disse...

Oi, Catarina!

Estou com planos de ir ao Rio ainda este ano, na semana que vem ou no próximo feriado. Tem tanta gente que eu quero conhecer daí, acho q vou dar uma festa pra juntar todo mundo, rs.

Sei como é péssimo perder um amigo :(
Mas fazer o que... pessoas saem de nossas vidas, outras entram...
Vc vai superar isso.

Bjim

Tati Rodrigues disse...

Uau... uma postagem que queria escrever tbm, mas não sabia como e não era questão de não se render, mas simplesmente pq não saia, não sabia como começar, o que escrever... daquelas coisas que não tem palavras. Mas aqui vc descreveu tão bem... tão próximo e tão verdadeiro que já me sinto aliviada por alguém ter escrito. Sinto-me contemplada, sinto-me da mesma maneira, mas... passemos adiante. Inté. Bjs

Suzana disse...

ei Cat realmente a vida segue, mesmo com esses percauços inesperados, doloridos e que como vc bem disse nos enchem de um certo pessimismo.Mas... é bom pensar que tudo tem um tempo para começar e outro para acabar.Infelizmente é assim, já senti isso várias vezes e sei como é ruim, espero que vc supere logo essa perda.Ou ao menos saiba lidar com ela.um beijão e lendo um comentario acima, eu tb acho que vou no Rio ainda em dezembro tb queria encontrar com vc rsrsrs

Helian Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helian Oliveira disse...

Realmente o sentimento de perda de um amigo ou até mesmo o simples distanciamento é bem chato de sentir.
Outras pessoas virão para vc e outra coisa: nem tudo nessa vida se perde para sempre.

Desejo que nesses dias vc por mais uma vez experimente o Amor do Pai cuidando de vc.

Éverton Vidal Azevedo disse...

E a gente promete e cumpre e nao cumpre e tenta e nao tenta cumprir e se lamenta ou nao por nao cumprir. A vida é cheia de contradiçoes mesmo. Mas a gente segue.

rafaela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafaela disse...

esse sentimento fica empreguinado na gente...sei muito bem disso.
perder alguem..um amigo,é pesado!
tenho marcas de muitas amizades...uma delas nunca sarou definitivamente..mais fica a lembrança dos tempos bons e as marcas de uma época que nunca mais será a mesma.

te amo baby!

Christianne Lima disse...

estamos aqui, minha preciosa amiga! estamos aqui.

Leandro Domingos disse...

Não é o fim até chegarmos ao fim. Digo isso porque dias atrás reencontrei por acaso uma grande amiga de 10 anos atrás... com quem havia tido uma animosidade, um mal estar. Nada que o tempo não tratasse de curar...

Enfim. Enquanto houver vida, há esperança. =)

Alex Malta Raposo disse...

Parabéns pelo blog, querida irmã.

Muito abençoado e abençoador.

Estarei sempre visitando.

Que Deus continue abençoando a sua caminhada.

alexmaltta.blogspot.com
Evangelho da Graça

BRUNOS disse...

Bom texto, Catarina. Na verdade, o que me chamou mais a atenção foi a parte que fala da relativização de tudo hoje. Esse tudo, no entanto, não é bem "tudo". É tudo menos ser cristão, ou pior ainda, crente. Seja tudo, menos careta. Tem um cara que escreve na Veja, Reinaldo Azevedo, que diz que do jeito que a coisa vai dentro de algum tempo vamos precisar desenhar peixes no chão, para podermos nos comunicar secretamente com outros cristãos. Beijo